segunda-feira, 13 de abril de 2009

Fim do Mundo




Fim do Mundo (poesia caótica)
.
Quero que o mundo acabe hoje!
Pessoas desesperadas por suas riquezas,
Pelo trabalho, por roubo ou por sorte.
Chorarão, matarão em crises de pânico por toda a cidade.
Quero que o mundo acabe agora!
Porque eu não fiz nada.
Não parcelei uma casa, o pouco que trabalhei gastei com cerveja,
Estudei para provas do dia seguinte, conheci a noite, algumas mulheres,
e drogas... e a miséria de corpo e de alma. Vivi a estrada.
E o mundo?
Pode acabar!
Não tenho nada.
Só tenho; esses segundos que restam.
.
Cassius Caos (Gustavo Moura Brasil)
.
.
Outros artigos:
.
Rio de janeiro - Qual é a violência?
poesias – Gustavo Moura Brasil
Destaque - Augusto dos Anjos
Culturas Cariocas
Gustavo Moura Brasil - Contos
Novo intelectual do Brasil
Confissão - Charles Bukowski
Injustiça Urbana - Poesia Caótica
Carlos Caro
Noel Rosa
.
.
.
Vá para o google, yahoo, blogger, dihitt, blogblogs, pagina inicial, Tamborim Design, Planta Saudável, Saúde com Vida


0 comentários:

Postar um comentário

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO