sábado, 28 de fevereiro de 2009

Poesia do silêncio.



O Rio nunca está em silêncio.
Um tédio.
Sinfonia de ar-condicionado.
Tanta sonoridade que esquecemos,
da beleza do silêncio
ou o barulho de sapos e grilos.
Silêncio!
...
Oco e vazio.
...
Melhor lugar para um pensamento.


Gustavo Moura Brasil



Artigo Recentes:




1 comentários:

jheison 2 de março de 2009 12:05  

ótima poesia...
ela fala tudo, realmente naun a nada como o silencio...
ja faz tempo que naun ouço sapos e ggrilos, no começo nos irrita, mais depois e um tempo, é maravilhoso...
abraço

Postar um comentário

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO