terça-feira, 26 de maio de 2009

O Último Poema - Manoel Bandeira

foto do site Memória Bravo Brasil
.
Assim eu quereria meu último poema.
Que fosse terno dizendo as coisas mais simples e menos intencionais.
Que fosse ardente como um soluço sem lágrimas.
Que tivesse a beleza das flores quase sem perfume.
A pureza da chama em que se consomem os diamantes mais límpidos.
A paixão dos suicidas que se matam sem explicação.
.
Manuel Bandeira

.
Links para Manuel Bandeira:

Wikipédia
Releituras
Pensador
Jornal da Poesia
Brasil Escola
Casa Rui Barbosa
Poemas de Bandeira


Outros artigos:
.
Rio de Janeiro - Qual é a violência?
poesias – Gustavo Moura Brasil
Destaque - Augusto dos Anjos
Culturas Cariocas
Gustavo Moura Brasil - Contos
Novo intelectual do Brasil
Confissão - Charles Bukowski
Injustiça Urbana - Poesia Caótica
Carlos Caro
Noel Rosa
.
.
Central Blogs

Twitter, Blogblogs, yahoo, blogger, google


Outros blogs: Planta Saudável, Saúde com Vida, Rota Travel, Pequena Fada, Blocos de Carnaval do Rio de Janeiro


2 comentários:

vitoria regina,  23 de agosto de 2012 13:27  

estou fazendo uma liçao que fala de vc e eu goste

vitoria regina,  23 de agosto de 2012 13:29  
Este comentário foi removido por um administrador do blog.

Postar um comentário

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO